[Opinião] “Meu pé de laranja lima” de José Mauro de Vasconcelos

meu-pe-de-laranja-lima1

Confesso que comecei este livro com pouco entusiasmo. Tinha ouvido várias opiniões bastante positivas acerca dele (nomeadamente da Cláudia e do Filipe), mas logo ao início não me foi muito fácil habituar-me à escrita do autor, carregada de expressões típicas do Brasil e de uma época muito específica. Depois de entrar na história, foi difícil largar o livro. É impossível não adorar o pequeno Zezé, o Portuga e até o Mindinho (o pé de laranja lima que é “confidente” e “conselheiro” do Zezé).

É um livro emotivo, embora tal não me passasse pela cabeça quando comecei a lê-lo. A inocência do Zezé, que o faz ser o miúdo mais fofo e o mais traquina de todos, é capaz de levar o mais duro dos corações às lágrimas (sem exagero!). Este livro só vem provar, como eu sempre digo, que as crianças são o melhor do mundo e que são bem mais inteligentes e capazes do que os adultos por vezes julgam. E, neste caso, no meio da pobreza (monetária e, por vezes, até de espírito) em que o Zezé vive, podemos encontrar uma linda história de amizade e compreensão.

Devia ter lido este livro mais cedo!

[Opinião] “A praia das pétalas de rosa” de Dorothy Koomson

praia das pétalas

Já li praticamente todos os livros de Dorothy Koomson (só me falta o Os aromas do amor, que também já vive cá em casa). Sou fã da autora, como não me canso de dizer, e era por isso mesmo que aguardava ansiosamente pela leitura deste livro (comprá-lo por 5€ no OLX foi um achado!). Contudo, fiquei um bocado desiludida com ele.

Conheço várias pessoas que dizem que este é o seu livro preferido da autora, mas a minha leitura foi-se arrastando por semanas e semanas e não me consegui identificar com esta onda de mistério que a autora quis transmitir desta vez.  Confesso que tal facto me dá até um certo medo de partir para a leitura de Os aromas do amor, tanto que o estou a deixar para depois, quando este meu trauma passar!

Enfim, acho que a personagem Mirabelle podia ter sido mais “explorada”, uma vez que o seu carácter se torna um pouco difícil de entender, bem como a vida que “decidiu” levar. Tal é inadmissível tendo em conta o tamanho do livro… O Scott mete, de facto, nojo, e nisso admito que não há como a Dorothy Koomson para nos sentir amar ou odiar um personagem. Contudo, esta Tamia às vezes acredita um bocado no Pai Natal. Também já sabem como é a sinceridade aqui da Silvéria, não há igual 😉

Para não estar só a criticar este livro, termino dizendo que esta capa ganha aos pontos todas as outras dos livros da Dorothy lançados em Portugal.

A minha experiência com a saga Crepúsculo…

Crepúsculo_livro

… provavelmente vai ser curta!

Passo a explicar. Depois de ter livro a péssima, horrível trilogia As cinquenta sombras de Grey, achei por bem ler a saga que está na sua origem, ou seja, a saga Crepúsculo da autoria de Stephenie Meyer (ok, só eu ainda não tinha lido isto!!!), da qual As cinquenta sombras é fanfiction. Acontece que já passei a adolescência, nisto o meu cérebro amadureceu, e deixei de achar piada a este tipo de histórias, nomeadamente a personagens totós, ingénuas e que gostam de se meter nos perigos a troco de nada. É isso e apaixonarem-se à toa pelo bad boy do sítio e terem, simultaneamente, todos os outros rapazes da aldeia apaixonadas por elas. Haja paciência! Peço desculpa se estou a ferir os vossos sentimentos, mas se serve de consolo admito que há uns 10 anos atrás talvez conseguisse tolerar mais não só esta história, como a escrita da autora, que não é nada de extraordinário. Acho que nos vamos tornando leitores mais exigentes à medida que o tempo passa.

Não há muito que vos possa contar sobre este primeiro volume que já não saibam. Apenas que tive a feliz ideia de os comprar quase todos baratinhos (os três primeiros no OLX por 12€, o quarto trouxe-o de uma estante de troca de livros existente na minha terra) só para poder dizer que tenho os livros de uma moda antiga na estante. Não vale a pena gastarem muito mais que isto se entenderem adquiri-los também. Não falta gente a desfazer-se deles e por algum motivo há-de ser…

Quanto aos volumes seguintes, talvez os venha a ler, talvez não… isto é tudo uma questão de espírito e de ter coisas bem mais interessantes para ler primeiro!!

Voltei!

Depois da maior ressaca literária de que me lembro… voltei (ao blog e, em breve, também ao canal)! Ainda a meio gás, mas tudo isto para dizer que não me esqueci de vocês e que vos tenho acompanhado dentro do que me tem sido possível!

E nisto vou só ali babar-me mais um pouco perante os quatro novos inquilinos da minha estante. (Não se roam de inveja, sim?)

17 de março de 2015