[Opinião] “Boneca de luxo” de Truman Capote

truman capote - boneca de luxo

Vou admitir: peguei neste livro por ser pequeno! Há sempre um motivo, mais ou menos lógico, para me fazer pegar num livro e desta vez foi mesmo porque queria um livro que não demorasse muito a ser lido. Foi um risco, porque nem sempre os livros pequenos se lêem rápido (assim como os há de grande dimensão e fácil leitura), mas resolvi tentar.

Em primeiro lugar, e embora perceba o título que lhe foi dado em Portugal, acho que prefiro o título original: Breakfast at Tiffany’s. Sim, é mesmo a Tiffany’s que vende jóias em Nova Iorque! Tudo isto porque a nossa personagem principal, Holly, gostava de cometer a excentricidade de ir lá tomar o seu pequeno almoço.

Em Boneca de luxo, história contada pelo vizinho de Holly, temos uma Holly tresloucada, ingénua, inconsequente, sedutora, deslumbrante, espirituosa, vulnerável e cuja conduta, por vezes, pode roçar o reprovável. Sim, é isto tudo! E é tudo isto que torna a Holly uma personagem tão marcante na literatura do século XX. Não posso dizer que haja algum acontecimento particularmente marcante em todo este livro, porque o marco é mesmo a Holly. E já escrevi este nome tantas vezes, mas a verdade é que é mesmo ela, um “animal selvagem” constantemente “em viagem”, com o seu particular jeito para se meter em enrascadas e que levanta a discussão sobre a definição de “prostituição”, que dá brilho a este livro.

Este livro, aliás, é a prova de que não é preciso escrever-se um calhamaço para se ter um bom livro, que marque e que diga muito. As personagens são bem construídas, a escrita é limpa e sem floreados. Bem como eu gosto. É fácil gostar de Capote assim!

Talvez conheçam esta história, que data de 1958, através do filme que foi lançado posteriormente (1961). Ainda não vi o filme porque já me avisaram que é ligeiramente diferente do livro e conhecem aquele medo meio infundado que todos nós, leitores, temos de ver um livro no grande ecrã, não conhecem?! Mas, mesmo que o tenham feito, aqui fica uma dica de um livro que facilmente conseguem ler numa tarde…

“Mas não podemos confiar o coração a um animal selvagem: quanto mais lhe damos, mais forte fica. Até ter força suficiente para largar a correr para a floresta. Ou voar para uma árvore. E depois para uma árvore mais alta. E depois para o céu. É o que lhe vai acontecer, Mr. Bell, se se apaixonar por um animal selvagem. Acaba a olhar para o céu.”

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s