Desafios literários para 2016!

Para 2016, decidi criar, ou melhor, adaptar dois desafios literários para mim própria. Caso se queiram juntar, deixo-vos a lista dos autores que fazem parte do meu baralho de cartas literário e que pretendo ler ao longo deste ano e não só! Deixo-vos, ainda, os desafios publicados no 9GAG para 2015 e 2016 que eu decidi repescar para mim própria.

Para que tudo se torne mais claro, fica ainda no final deste post o vídeo que publiquei no canal onde procuro explicar melhor em que consistem estes desafios.

Boas leituras 🙂

Primeiro desafio:

Desafio Baralho de Cartas Literário

Segundo desafio:

desafio 2016

 E agora em vídeo:

Balanço Leituras 2015

2015 foi o ano em que o meu gosto literário se tornou mais exigente. Li algumas coisas muito boas, outras nem por isso, mas percebi melhor o que uma obra precisa de ter para me agradar.

Li mais autores portugueses (e ainda bem!), poderia ter lido ainda mais mulheres, mas continuo a centrar-me nos países de língua inglesa, o que vai ter de mudar em 2016!

Deixo-vos aqui a lista das minhas leituras com as respectivas opiniões para que possam espreitar caso vos interesse!

1. Stephenie Meyer – Crepúsculo
2.Jen Campbell – Weird things costumers say in bookshops
3. Dorothy Koomson – A praia das pétalas de rosa
4. José Mauro de Vasconcelos – Meu pé de laranja lima
5. N. H. Kleinbaum – Clube dos poetas mortos
6. Jen Campbell – More weird things costumers say in bookshops
7. Jennifer Niven – Por lugares incríveis
8. Cammie McGovern – Amy & Mattew
9. Bianca Briones – As batidas perdidas do coração
10. Truman Capote – Boneca de luxo
11. Kathryn Stockett – As serviçais
12. Eugénio de Andrade – Antologia breve
13. Hélder Castro – Ecos do inconsciente
14. Rick Riordan – Percy Jackson e os ladrões do Olimpo
15. Rosa Lobato de Faria – A trança de Inês
16. Ann Bonwill – Não quero fazer ballet!
17. Álvaro Magalhães – O olhar do dragão
18. Francisco Moita Flores – A fúria das vinhas
19. Kiera Cass – A rainha
20. Beatrix Potter – A história de Pedrito Coelho
21. Emily Brontë – O monte dos vendavais
22. Pedro Chagas Freitas – Prometo falhar
23. Clarice Lispector – A bela e a fera
24. Dr. Spencer Johnson – Quem mexeu no meu queijo?
25. Kiera Cass – A herdeira
26. Gabriel García Márquez – Crónica de uma morte anunciada
27. Gabriel García Márquez – Memória das minhas putas tristes
28. Primo Levi – Se isto é um homem
29. Maria Alberta Menéres – Ulisses
30. Tracey Garvis-Graves – Sozinhos na ilha
31. Alice Vieria – Lote 12, 2º frente
32. Jorge Amado – O Gato Malhado e a Andorinha Sinhá
33. Ivone Marques Umbelino Teixeira – Índio Bolha
34. William Shakespeare – Romeu e Julieta
35. Francisco José Viegas – Um crime capital
36. Stephen King – Misery
37. Edgar Allan Poe – Os crimes da Rua Morgue
38. Manuel Alegre – Cão como nós
39. Goethe – A paixão do jovem Werther
40. Rosa Lobato de Faria – Os linhos da avó
41. Afonso Cruz – Para onde vão os guarda-chuvas
42. Carina Rosa – Olhos de vidro
43. Rosa Lobato de Faria – A alma trocada
44. Afonso Cruz – Jesus Cristo bebia cerveja
45. Gillian Flynn – Em parte incerta
46. Dorothy Koomson – Os aromas do amor
47. Agatha Christe – A dez figuras negras
48. Paula Hawkins – A rapariga no comboio
49. Khaled Hosseini – O menino de Cabul
50. Afonso Cruz – A boneca de Kokoschka
51. Richard Zimler – Confundir a cidade com o mar
52. Robert Louis Stevenson – O médico e o monstro
53. Fiódor Doistoiévski – Noites brancas
54. Jonathan Safran Foer – Extremamente alto, incrivelmente perto
55. Nuno Nepomuceno – O espião português
56. Afonso Reis Cabral – O meu irmão
57. Carina Rosa – Um presente inesperado
58. Ana Luiz – Ashram
59. Carina Rosa – As gotas de um beijo
60. Antoine de Saint-Exupéry – O Principezinho
61. Nuno Nepomuceno – Redenção

[Opinião] “Manual de felicidade para neuróticos” de Nuno Amado

25267987Foi um pouco por coincidência que peguei em simultâneo em três livros escritos por três Nunos diferentes: Nuno Nepomuceno (O espião português, já lido), Nuno Camarneiro (Debaixo de algum céu, a ler) e Nuno Amado com este Manual de felicidade para neuróticos. Por coincidência também, até estava com um Nuno quando comprei este último! E é curioso ver como autores com o mesmo nome podem ter estilos tão diferentes entre si.

Manual de felicidade para neuróticos tem, talvez, um nome mais pomposo do que o livro o é na realidade. Escrito por um psicólogo, o livro é mais ligeiro e menos académico do que a formação do seu autor poderia sugerir e até do que sugeria as suas personagens principais: um escritor e um psiquiatra.

Como o próprio título indica, este livro fala da elaboração de um manual de felicidade que ficou a cargo, como disse, de um escritor (Gaspar) e de um psiquiatra (Amadeu), sendo financiado pela União Europeia. Escrito pela mão de Gaspar e com o contributo das histórias e das pessoas que Amadeu conhece, este manual não é mais que uma colecção de pequenas histórias com alguma moral pelo meio, misturadas com as conversas entre os seus dois criadores e outras personagens secundárias. É uma narrativa simples, por vezes divertida, mas não muito marcante ou que dê vontade de ler mais do autor a curto prazo.

Menção honrosa para esta capa, de tons leves e esteticamente muito agradável.

“Todos os problemas dos Homens são resultado das imperfeições do amor. Todos os Homens foram amados algum dia. Todo o amor é imperfeito. É nesse pequeno espaço de imperfeição, cuja proporção é a de um buraco de agulha para a Muralha da China, que nasce o desespero. Uma secura no fundo da garganta. Um pássaro morto no lado do eléctrico. Um café que nos é servido frio. Um café frio de manhã é o sinal de que não existe completude para o amor. Que por maiores que sejam os braços que nos contêm nunca serão suficientemente grandes. Mas é a imperfeição do amor que o faz tão magnífico. O erro é o espaço do humano. O arrependimento o seu mestre.” (p.158)